sexta-feira, 29 de maio de 2009

Poema Seco

E Solo
E Sol
E Só

7 comentários:

Fernanda disse...

Vc está se superando a cada dia, calouro. Gosto do que escreve e do peso sutil e profundo das palavras.

Crisneive Silveira disse...

E mudo?

Jússia disse...

Adoro o poder de síntese, sendo comunicativo. Super inteligente!

LUA DA PAZ disse...

Na enxada seca.Segue o seco sem sacar que o caminho é seco sem sacar que o espinhos é seco sem sacar que seco é o ser Sol. Sem sacar que algum espinho seco secará e a água que sacar será um tiro seco e secará o seu destino. Ò chuva vem me dizer se posso ir lá em cima pra derramar você. Chuva é Côco derramando.

floratomo disse...

seco e só ou não, poema abastado...
beijo, daya

Felipe Ribeiro disse...

O "poema seco" denota certa angústia do eu-lírico ante a terrível solidão da humanidade. Além disso, o poema engloba diversas possibilidades de interpretação... Aprecio a forma como você constrói o poema, melhor dizendo, gostei muito da sua atitude poética. Talvez a solidão(o tema) seja a marca do poeta Jonathan Mendonça. Poeta que traz em si todas as dores do homem em forma de palavras. Palavras que são como lâminas roxas(lâminas roxas como gosto de dizer).Enfim, poesia cortante e direta.

Ribeiro

Kézia disse...

Meeeeu, bem modernista! O resumido das palavras surtiu um efeito, q as vezes a quanttidade não o faz! Sem palavras, (Bem ao estilo do poema!) Muito bom!